99 000 €

3

Bedrooms

1

Bathroom

30 m2

of area

Moradia em Amarante

Moradia em fase de reconstrução, faltando apenas a colocação de soalho e pintura. Inserida em Quintinha com Vinha e árvores de fruto com área de 6000m2. Localizada junto ao Rio, a 5min. do Aquaparque de Amarante, 5min. de autoestrada, a 30 Km do centro da Régua.
Amarante é uma cidade portuguesa pertencente ao distrito do Porto, região Norte e sub-região do Tâmega e Sousa, com cerca de 11 261 habitantes.
É sede do município de Amarante com 301,33 km² de área e 56 264 habitantes (2011), subdividido em 26 freguesias. O município é limitado a norte pelo município de Celorico de Basto, a nordeste por Mondim de Basto, a leste por Vila Real e por Santa Marta de Penaguião, a sul por Baião, Marco de Canaveses e Penafiel, a oeste por Lousada e a noroeste por Felgueiras.
No contexto de políticas sub-regionais de desenvolvimento e de mobilidade, é membro da Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa, constituída por 12 municípios, que no seu total contabilizam cerca de 528 000 habitantes.
O comércio e o serviços centram-se principalmente na cidade de Amarante. O actual presidente da Câmara Municipal de Amarante é José Luís Gaspar, do Partido Social-Democrata.
História:
Amarante teve provavelmente a sua origem nos povos primitivos que habitaram a serra da Aboboreira (habitada desde a Idade da Pedra), embora se desconheça exactamente o nome dos seus fundadores. Contudo, só começou a adquirir importância e visibilidade após a chegada de São Gonçalo (1187-1259), nascido em Tagilde, Guimarães, que aqui se fixou depois de peregrinar por Roma e Jerusalém. A este santo se atribui a construção da velha ponte sobre o Rio Tâmega.
Centro histórico
Amarante torna-se alvo de peregrinações e a povoação foi crescendo. Já no Século XVI, D. João III ordena a construção do Mosteiro de São Gonçalo sobre a capela junto à ponte sobre o Rio Tâmega, onde segundo a tradição São Gonçalo terá vivido e foi sepultado.
Em 1763, ocorre a derrocada da velha Ponte de São Gonçalo devido às cheias do Rio Tâmega. Nos anos seguintes foi reconstruída com o aspecto que ainda hoje apresenta.
No início do século XIX, Napoleão Bonaparte tenta invadir Portugal e sobre Amarante passaram também estas invasões francesas, sendo palco do heróico episódio da Defesa da Ponte de Amarante que valeu ao General Silveira o título de Conde de Amarante e a própria vila de Amarante teve a honra de ser agraciada com o colar da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito que reflecte no seu brasão municipal. Após este episódio criam-se planos para a reconstrução da vila, pois os franceses tinham incendiado quase a totalidade das casas.
As reformas liberais do século XIX reorganizaram administrativamente o território e em 1855 extinguiram-se os municípios de Gouveia, Gestaço e Santa Cruz de Ribatâmega, tendo o de Amarante recebido a maioria das suas freguesias e ainda algumas de Celorico de Basto.
Solar dos Magalhães, incendiado pelas tropas francesas.
O apogeu cultural dá-se nos inícios do século XX, graças a amarantinos como Teixeira de Pascoaes nas letras e Amadeo de Souza-Cardoso na pintura.
Foi feita Dama da Antiga e Muito Nobre Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito a 21 de Novembro de 1925.
Amarante adquiriu estatuto de cidade a 8 de Julho de 1985, sendo esta também a data do seu feriado municipal.

  • Price: 99 000 €
  • Status: Rehabilitation
  • Net area: 30m2
  • Gross area: 40m2
  • Bedrooms: 3
  • Bathrooms: 1
  • Construction Year: 1984

How much is my house worth?

Simulation

Make your simulation

Property Value

Amount to be financed

Term (years)

Schedule Visit

Available dates

Transparência e Determinação, Lda. AMI: 17961
An error has occurred. This application may no longer respond until reloaded. Reload 🗙